Entrada #4

Há coisas que quero dizer e espeto-as onde me parece dar mais jeito, ou onde me lembro, ou onde consigo. Às vezes, invento pontes, arranjo maneira de fazer com que as ideias caibam, com que nasçam discussões. Não é natural, e provavelmente não é honesto. O pior de tudo é que é volátil: posso pôr aqueles parágrafos antes ou depois e o efeito é o mesmo, não desempenham um papel particular, crucial, naquele ponto da narrativa. Talvez no fundo, mais do que planear a estrutura de uma narrativa, eu tenha vontade de dizer e discutir e, acima disso, de brincar com a língua, explorar a técnica, escrever coisas bonitas - horrorosas e brutas, muitas vezes, mas bem escritas.